quinta-feira, 16 de outubro de 2014

DNJ 2014

DIA NACIONAL DA JUVENTUDE - 19 DE OUTUBRO DE 2014.


No dia 19 de outubro a Diocese de Cachoeiro de Itapemirim celebra o Dia Nacional da Juventude (DNJ), confira a programação completa a seguir, participe!

Papa e Twitter

As contas oficiais do Papa Francisco na rede social Twitter superaram os 16 milhões de seguidores, dos quais mais de 1 milhão (1,18) são seguidores de sua conta em português @Pontifex_pt e recebem atualizações, reflexões e mensagens do Santo Padre.

As nove contas do Pontífice em espanhol, italiano, inglês, alemão, polonês, francês, português, árabe e latim superaram os 16 milhões de seguidores e continuam batendo recordes.

As três com mais seguidores do pontífice são atualmente a conta em espanhol @Pontifex_es, com 6.961.158 seguidores (o que representa 43,51 por cento do total), a conta em inglês @Pontifex (com 4.581.960 seguidores, equivalente aos 28,64 por cento), e depois a conta em italiano @pontifex_it (2.033.261 seguidores e 12,71 por cento).

Por quantidade de seguidores, continuam as contas em português, francês, latim, polonês, alemão e árabe.

Em 12 de dezembro de 2012 foram abertas, durante o pontificado de Bento XVI, oito contas. Em 17 de janeiro de 2013 se acrescentou a conta em latim. Para motivar a interação com os usuários, em 3 de dezembro se lançou o hashtag #AskPontifex, com o qual os usuários podiam deixar perguntas e inquietações ao Papa.

Em janeiro de 2013, as contas do Pontífice somavam 2 milhões de seguidores. No mês seguinte, os seguidores já eram 3 milhões. Com a chegada de Francisco, sua frequência de publicações e suas mensagens, as contas do Twitter superaram rapidamente os 4 milhões em abril de 2013. Um ano depois se chegou aos 13 milhões.

Papa Francisco: esperemos a volta de Jesus sem cansaço ou resignação.



Papa Francisco pediu hoje que os cristãos mantenham acessa a esperança na volta de Jesus, sem ceder ao cansaço ou resignação.

Em sua catequese semanal na Praça de São Pedro, o Papa falou sobre “A noiva à espera do seu noivo”, prosseguindo seu ciclo de catequeses sobre o tema da “Igreja”. 

A Igreja – explicou o Papa – é o povo de Deus que segue o Senhor Jesus e que se vai preparando dia após dia para o encontro com Ele, como uma noiva para o seu noivo. E não se trata de simples retórica, mas são verdadeiras núpcias, porque Cristo, fazendo-Se homem como nós e fazendo de todos nós um só com Ele, com a sua morte e ressurreição, desposou verdadeiramente a nossa humanidade e fez de nós a sua esposa. 

“’E assim estaremos sempre com o Senhor’: essas palavras de São Paulo estão entre as mais belas do Novo Testamento” – disse o Papa. “Palavras simples, mas com uma densidade de esperança muitos grande”, prosseguiu Francisco, pedindo que a multidão repetisse três vezes essa frase.

Já o livro do Apocalipse apresenta a Igreja como uma noiva preparada para o seu noivo: a noiva, porém, é apresentada não como simples indivíduo, mas como uma cidade, “a nova Jerusalém”. 

Sendo a cidade o símbolo por excelência do relacionamento e convivência humanos, acrescentou o Papa, podemos desde já contemplar todas as nações e povos nela congregados como numa tenda, a tenda de Deus. Nesta cidade, não existirá egoísmo, nem prevaricação, nem divisão de qualquer gênero – de natureza social, étnica ou religiosa –, mas todos serão um só em Cristo. 

Chega assim à sua plena realização o projeto de comunhão e amor tecido por Deus no decurso de toda a história. A missão da Igreja é manter acesa e à vista de todos a candeia da esperança, que não é simples otimismo. Para um cristão, a esperança é espera fervorosa, apaixonada da realização última e definitiva de um mistério, do mistério do amor de Deus. 

“Queridos irmãos e irmãs, eis então o que esperamos: a volta de Jesus!”, disse o Papa, perguntando porém se nossas comunidades vivem esta espera numa atitude calorosa, ou de maneira cansada e resignada.

“Estejamos atentos”, exortou o Pontífice, dirigindo-se a Maria, para que Ela nos mantenha sempre numa atitude de escuta e espera, para participar um dia da alegria sem fim, na plena comunhão com Deus. 

“E assim estaremos sempre com o Senhor”, finalizou o Papa, pedindo novamente que os fiéis repetissem mais três vezes esta frase.

(Com Rádio Vaticano)

Festa 2014







NOSSO MUITO OBRIGADO A TODOS!!!

NOSSO MUITO OBRIGADO A TODOS!!!
Nosso muito obrigado a todos que de alguma forma contribuiu, para os festejos em honra a Nossa Senhora Aparecida 2014.
Podemos sentir a doce presença do amor de Deus, e de nossa Mãe Maria em cada mento vivido durantes esses dias de festa. Roguemos e pedimos desde já que em 2015 todos com saúde e paz possamos viver e dedicar mais ainda a essa bela festa.
Por fim nosso muito obrigado, ao nosso pároco o Frei Agostinho e todos que celebraram conosco durante esses dias, que a Mãe aparecida derrame muitas graças em nossos corações, e em nossas vidas.
Bem - Vindo ao nosso BLOG :) 

AGUARDEM MAIS INFORMAÇÕES E NOTÍCIAS :) 


sexta-feira, 4 de abril de 2014

1° Missa da Juventude

Primeira Missa da Juventude, Paróquia Nossa Senhora da Consolação

Dia 20/04/2014 às 19:00

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Devo ir à missa por pura obrigação?


Muitos se perguntam se devem ir à missa no domingo mesmo sem vontade, por pura obrigação. Para responder à essa pergunta é preciso antes entender como é o funcionamento da alma humana e de como se pode prestar culto a Deus.
O homem é constituído de corpo e de alma e é a alma que deve comandar o corpo, mesmo que os 'sentimentos' do corpo não estejam colaborando. É como um pai que leva o seu filho à missa: a alma é o pai e o corpo é o filho. Ora, o filho esperneia e diz que não quer ir, mas o pai é firme e exerce um ato de vontade sobre o filho.
A alma humana possui três áreas: a inteligência, a vontade e a afetividade (sentimentos). Elas devem obedecer a essa hierarquia, deste modo, quando a pessoa sente dificuldade em ir à missa é porque a afetividade está querendo sobrepor-se às demais, porém, a sua inteligência sabe o que é o certo e determina à vontade, ordena à afetividade que vá mesmo assim.
Não se trata de hipocrisia. Quando uma parte do indivíduo não quer ir à missa é justamente nesse momento que se vislumbra a oportunidade de mostrar a Deus o quanto o ama, pois uma oração que é feita na luta é uma oração que tem mais valor porque é feita na consolação.
Nenhuma das três áreas da alma devem ser excluídas da vida espiritual, mas elas devem obedecer à hierarquia. A inteligência é a área usada para o ato principal da vida espiritual: a oração. A vontade também pertence à vida espiritual e quando é ela quem comanda, a isso se dá o nome de devoção. Finalmente, quando a afetividade (sentimentos) entram na vida espiritual ocorre a consolação.
Contudo, mesmo que o indivíduo não receba consolações na vida espiritual, ou seja, quando ele está passando por um período de aridez, de deserto, não deve desanimar, pois esta é a área que está mais em contato com o corpo e, portanto, não é tão sublime.

Neste momento, a vontade deve vir em socorro da afetividade e o indivíduo deve perpetrar atos de devoção em que, mesmo não sentindo grande consolação, os gestos concretos de vontade por ele realizados, ajudarão o intelecto, a razão, a parte superior de sua alma a prestar o culto a Deus. Aquele culto referido por São Paulo como logiké latréia, ou seja, uma adoração lógica, do Logos, um culto espiritual em que o indivíduo dobra sua inteligência diante da sabedoria infinita de Deus para pedir a Ele tudo aquilo que convém para a salvação da própria alma e das outras pessoas.

terça-feira, 1 de abril de 2014

Qual a diferença entre a beatificação e a canonização?

Embora não se encontre na literatura católica nenhum documento que traga a definição ou demonstre a diferença entre a natureza da beatificação e da canonização de uma pessoa, é sabido que essa diferença existe.

beatificação é uma permissão de culto. Frágil enquanto sentença e que, geralmente, atende ao anseio de uma comunidade específica (um país, uma ordem religiosa etc.), porém, faltando ainda aquela nota de universalidade típica do ser católico.
canonização, por sua vez, é uma prescrição de culto, inclusive algumas bulas trazem a ordem expressa de culto e outras trazem anátemas para quem não aceitar a santidade decretada.
O núcleo da diferença entre um ato e o outro é o fato de que, na beatificação não existe um pronunciamento explícito quanto à certeza de que a pessoa beatificada está na glória do céu. Já na canonização existe essa atestação pontifícia, tanto vida virtuosa como modelo de santidade, quanto da certeza de que aquela pessoa declarada encontra-se na Igreja triunfante.
A canonização é, portanto, um ato político, no sentido mais puro da palavra, ou seja, é um ato de influência social que visa o bem comum das pessoas. O Catecismo da Igreja Católica, em seu número 828, diz que:
"Ao canonizar certos fiéis, isto é, ao proclamar solenemente que esses fiéis praticaram heroicamente as virtudes e viveram na fidelidade à graça de Deus, a Igreja reconhece o poder do Espírito de santidade que está em si e sustenta a esperança dos fiéis, propondo-os como modelos e intercessores."
A salvação está disponível para todos, para tanto, existe o Purgatório. Já a santidade é para poucos, pois, o santo é aquele que viveu de tal forma a vida em Cristo que não necessitou do remédio do Purgatório e ao morrer foi direto para o céu.
A canonização é uma sentença definitiva e irrevogável, na qual o Papa afirma, utilizando-se do seu poder pontíficio, que aquela pessoa viveu de forma extraordinária a graça do primeiro mandamento que é amar a Deus sobre todas as coisas e que, por causa disso, serve como modelo para todos aqueles que almejam viver a mesma Graça.

Por que tantos católicos deixam a Igreja?

Relatórios e estatísticas feitas no Brasil nos últimos anos geralmente apontam uma queda do número de pessoas que se declaram católicas. A mídia, ao notar essa realidade, sai à procura de respostas para este fenômeno. Afinal, por que tantos católicos deixam a Igreja?
Trata-se de uma pergunta difícil, mas uma das situações que se impõem à análise é o fato de que muitas pessoas que se dizem católicas se comportam, na verdade, como protestantes. Isto dificulta muito o diálogo ecumênico, já que não se sabe se quem está no polo católico do debate é um católico de fato ou um protestante infiltrado na Igreja Católica. Para muitos dissidentes, de fato, a saída da Igreja representa simplesmente uma mudança de endereço, e não de mentalidade.
Para fazer um juízo desta espécie, é preciso recorrer à definição do protestantismo. A sua essência consiste em que cada fiel é o seu próprio "papa", cada protestante pode interpretar a Bíblia com a assistência infalível do Espírito Santo. Na Igreja Católica, ao contrário, o responsável por interpretar infalivelmente as Sagradas Escrituras é o Magistério da Igreja, isto é, o Papa e os bispos em comunhão com ele. E isto é assim por desejo do próprio Senhor, que confiou aos apóstolos as chaves do Reino dos céus e aos quais declarou: "Quem vos ouve, a mim ouve; quem vos rejeita, a mim rejeita" (Lc 10, 16).
Portanto, o trabalho dos sucessores de São Pedro e dos demais apóstolos é um humilde serviço prestado aos católicos, não um poder arbitrário despótico, que tudo pode mudar, a qualquer tempo. Um Papa que, no exercício de sua infalibilidade, declarasse algum ponto da doutrina contrário ao ensinamento bimilenar da Igreja, ou não seria um Papa legítimo, ou, ao contrário, ver-se-ia todo o edifício eclesial vir abaixo. Não pode existir contradição no ensinamento da Igreja ao longo dos séculos. O Concílio Vaticano II, por exemplo, não poderia – como não o fez – contradizer os concílios ecumênicos anteriores, como o Vaticano I e o de Trento.
No protestantismo, prevalece o princípio do "livre exame" das Escrituras. Negada a autoridade do Papa, qualquer um pode se erigir "papa", atribuindo a si a autoridade para interpretar a Bíblia da maneira como bem entender. Infelizmente, esta mentalidade tem sido incentivada por teólogos como Hans Küng, Leonardo Boff, Andrés Torres Queiruga, constituindo o fenômeno do neoprotestantismo na Igreja.


Tenho muito ciúmes da minha namorada, o que fazer?

Existem dois tipos de ciúmes: o virtuoso e o mau. O ciúme virtuoso é aquele que Deus tem em relação à sua criação. Ele sabe que o homem, ao amá-Lo em primeiro lugar e acima de todas as coisas, encontrará a fonte da própria felicidade. Assim, é bom para o homem amar a Deus. O homem também é capaz de sentir esse ciúme bom. Quando o amor visa o bem do outro e o zelo é pela salvação do outro trata-se desse tipo de ciúme.
Contudo, nem sempre o que se vê é o ciúme bom. Na maior parte dos casos, o que se tem é o ciúme mau, motivado pelo egoísmo. O ciúme virtuoso pergunta 'como é que você fica?', enquanto o ciúme mau indaga: 'como é que eu fico?', ou seja é centrado em si mesmo e não no outro.
A base do mau ciúme é a falta de amor próprio. A pessoa que não se ama, sente-se insegura e agredida a todo momento. Para que haja um amor saudável é preciso primeiro que a pessoa se ame. "Caritas bene ordinata incipit a semetipso".
Se a pessoa se ama, ela pode amar o outro. Caso contrário, ela se transforma numa espécie de sumidouro, que a tudo quer absorver, tudo quer atrair. Ela não se ama e por isso precisa agarrar-se às outras pessoas.
A dificuldade do ciumento é, portanto, consigo mesmo. Por causa de sua baixa auto-estima não consegue enxergar o próprio valor. A solução é crer no amor de Deus, crer no presente que se é para os outros. Somente amando a si mesmo é que o ciumento poderá viver o amor de forma sadia.

Evangelii Gaudium


 

O Santo Padre Francisco presidiu na manhã desta terça-feira, às 9h30, no Salão Bolonha do Palácio Apostólico – a um encontro dos Responsáveis pelos diversos Dicastérios da Cúria Romana. O argumento do encontro, segundo informa uma nota da Sala de Imprensa do Vaticano, "foram as reflexões e reacções suscitadas nos diferentes Dicastérios pela Exortação Apostólica Evangelii Gaudium, e as perspectivas que se abrem para a sua implementação”


Capítulo Geral da Sociedade Salesiana de São João Bosco

Papa Francisco recebeu nesta segunda-feira, o Núncio Apostólico na Síria, D. Mario Zenari; o Presidente da Sociedade Bíblica Americana; e os participantes no Capítulo Geral da Sociedade Salesiana de São João Bosco. Nas palavras aos Salesianos, o Papa fez votos de que o Espírito Santo os ajude a “captar as expectativas e os desafios do nosso tempo, especialmente dos jovens, e a interpretá-los à luz do Evangelho” e do seu próprio carisma – a evangelização dos jovens.

“A evangelização dos jovens é a missão que o Espírito Santo vos confiou na Igreja… Ocorre preparar os jovens a trabalhar na sociedade segundo o espírito do Evangelho, como operadores de justiça e de paz, e a viver como protagonistas na Igreja.”

A propósito dos jovens e da ação que com eles desenvolvem os Salesianos, o Santo Padre evocou “o mundo da exclusão juvenil”, a começar pela “vasta realidade do desemprego, com tantas consequências negativas”.

“Ir ao encontro de jovens marginalizados exige coragem, maturidade humana e muita oração… É necessária um atento discernimento e um acompanhamento constante”. 

Finalmente, Papa Francisco sublinhou a dimensão comunitária da vida dos Padres Salesianos. Para superar tensões, individualismo e dispersão, é preciso comunicação profunda e relações autênticas. Neste contexto o Santo Padre evocou “o espírito de família” que Don Bosco lhes deixou em herança…

“A força humanizante do Evangelho é testemunhada pela fraternidade vivida em comunidade, feita de acolhimento, respeito, ajuda recíproca, compreensão, cortesia, perdão e alegria”.

Recordando que está às portas o bicentenário do nascimento de Don Bosco, o Papa concluiu assegurando e pedindo orações. 

Cronologia do primeiro ano do Papa Francisco

No dia 13 de março passado, o Papa Francisco completou seu primeiro ano à frente da Igreja Católica. De lá para cá, ele tem suscitado alegrias e esperanças, seja pelo seu jeito simples, direto e terno de falar e agir, seja por sua firmeza e atitudes que visam levar toda a Igreja a conversão, a mudanças pastorais profundas. Papa Francisco já tem renovado e dado novo entusiasmo a prática da fé cristã.
Eis agora alguns fatos que nos revelam para onde o Papa Francisco está nos conduzindo como Pastor da Igreja de Cristo.
23 de março de 2013. Papa Francisco visita o Papa  Emérito Bento XVI, em Castelgandolfo. Encontrou histórico. O primeiro entre dois papas. 
5 de abril de 2013. Francisco pede que se continue a mesma linha de atuação do Papa Bento no que refere aos casos de abusos sexuais cometidos por padres, promovendo a proteção e ajuda das crianças vítimas, e auxiliando nos processos contra os culpados. Depois mudaria o Código penal do Vaticano, tornando mais rígidas as sanções contra esse tipo de crimes.
13 maio de 2013O Pontificado do Papa Francisco é consagrado em nossa Senhora, no Santuário de Fátima, pelo Patriarca de Lisboa, como era desejo do Papa Francisco.
5 de julho de 2013. Papa publica sua primeira Encíclica, Lumen Fidei, iniciada por Bento XVI. Consagra também o Estado do Vaticano a São Miguel Arcanjo e a São Jose.
8 de Julho. Vai a Ilha Lampedusa (Italia) e celebra missa pelos milhares de imigrantes africanos mortos durante a travessia para a ilha.
22 a 28 de julho. Vem ao Brasil, na sua primeira viagem internacional, para o JMJ. Aqui visita o Santuário Nacional em Aparecida e celebra a missa de encerramento da JMJ nas areias de Copacabana, para mais de 3 milhões de jovens (eu estava lá).
24 de novembroPublica a Evangelli Gaudium, sua primeira exortação apostólica sobre como se deve anunciar o Evangelho de Jesus nos tempos de hoje.
7 de janeiro de 2014Papa Francisco faz uma pequena reforma, mudando o modo de conferir o título de Monsenhor. Doravante, só para padres acima dos 65 anos. 
22 de fevereiro de 2014. Realiza em Roma seu primeiro Consistório, criando 19 novos cardeias, entre eles o Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani Tempesta.


domingo, 30 de março de 2014

YOUCAT – Fé expressa numa linguagem comum.

YOUCAT – Fé expressa numa linguagem comum

Em 2006, o Compêndio do Catecismo da Igreja Católica foi apresentado em Viena. Na conferência de imprensa, uma mulher levantou-se e disse que este livro não era útil para os jovens, e que era necessário um catecismo que chegasse aos jovens de hoje! Ela estava certa. Mas quem escreveria um catecismo assim? Acima de tudo, não poderia ser feito sem o envolvimento dos jovens.

Um grupo de escritores chegou à conclusão de que devia criar um texto baseado no Catecismo da Igreja Católica. Passaram então dois campos de férias de verão a discutir o texto com o total de 50 jovens. Deste modo, o YOUCAT surgiu baseado numa prática diária da fé dos jovens. É isto que o torna tão valioso. O próprio Papa Bento XVI apoiou o projeto desde o início. Ele próprio escreveu o prefácio, recomendando de todo o coração este livro aos jovens.

João Paulo II



A vida de Karol Wojtyla, polonês que conquistou o mundo com o nome de papa João Paulo II, é tema de um musical que será exibido na Cracóvia e em Roma no mês de abril. Intitulado "Karol Wojtyla: A Verdadeira História", o espetáculo é produzido pelo italiano Mauro Longhin e será apresentado pela primeira vez ao público no Teatro Slowacki, no dia 2 de abril, na cidade polonesa. 
A capital italiana, por sua vez, receberá o musical no dia 15 de abril, no Teatro Brancaccio. 

A obra reconta a vida de Wojtyla como ser humano comum e como líder da Igreja Católica e foi montada por ocasião da canonização de João Paulo II, que ocorrerá em 27 de abril, no Vaticano.    O texto do musical, que tem 120 minutos, é assinado por Duccio Forzano, Donatella Damato, Patrizia Barsotti e Gaetano Stella.   

Chiara Badano

Chiara Badano (em português: Clara Badano), dito Chiara Luce, conhecida como Beata Chiara Luce (Sassello, 29 de outubro de 1971 - Turim, 7 de outubro de 1990) é uma beata italiana.

Era bonita, gostava de fazer esportes e os seus amigos consideravam-na uma pessoa extraordinária. Aos 17 anos foi-lhe diagnosticado um tumor ósseo e começou a enfrentar a doença confiando tudo a Deus. Transmitia a todos serenidade, paz e alegria, e diante do sofrimento dizia: "Se é assim que queres Jesus, também eu quero". A sua vida é um exemplo para muitas pessoas. Poucos dias antes da sua partida para o céu dizia aos seus amigos: "Eu já não posso correr, mas gostaria de vos passar a chama, como nas Olimpíadas".

Na Igreja Católica, é considerada uma beata. Muitos jovens a consideram como um modelo para todos seguirem. Foi dito que "Isso ajudará a nadar contra a correnteza do mundo consumista que se vive na atualidade".

Pier-Giorgio

Filho de Alfredo Frassati e Adelaide Ametis, família abastada, dona do jornal La Stampa. Tendo vivido entre 1918 e 1922 em Berlim, onde o seu pai foi embaixador de Itália, Pier Giorgio viveu sobretudo no Piemonte, na cidade de Turim.
Pier-Giorgio era profundamente anti-fascista, chegando a envolver-se em confrontos físicos com adeptos do Partido Social Fascista de Benito Mussolini. Quando aquele dirigente assumiu o poder, em 1922, o seu pai demitiu-se de embaixador e regressou a Itália com a família. Em 1921 Pier Giorgio inscreveu-se no Partido Popular italiano (Partito Popolare Italiano), dirigido por Luigi Sturzo que se reclamava das ideias da Democracia Cristã.
Dedicou-se desde muito novo a várias obras sociais, de caridade e religiosas. Envolveu-se no seio de vários grupos católicos de juventude, como oApostolado da Oração e a Sociedade de São Vicente de Paulo, quando adolescente participou dos centros da Juventude Mariana Vicentina em Turim, e mais tarde torna-se membro da Ordem Terceira de São Domingos. Uma da suas máximas de vida era: «A Caridade não é suficiente: precisamos de reformas sociais». Foi um dos fundadores do jornal «Momento», baseado nos ensinamentos sociais do Papa Leão XIII explanados na sua encíclicaRerum Novarum. Estudante de Engenharia Industrial Mecânica na Escola Real Politécnica, entre 1918 e 1925, pretendia vir a dedicar-se integralmente aos mineiros, que ele via como uma das classes profissionais mais sofredoras, seja em termos de dureza profissional, fosse em termos sociais.
Era um desportista, praticando diversas modalidades entre as quais se destacava o montanhismo, mediante o qual aproveitava para se isolar, rezar e reflectir na solidão das montanhas.
Frassati morreu em 1925 de poliomelite e milhares de pessoas participaram no seu funeral. Encontra-se enterrado na Catedral de Turim.
Foi chamado de Homem das oito beatitudes pelo papa João Paulo II, que o nomeou Patrono dos Desportistas e o beatificou a 20 de Maio de 1990.
Sua festa religiosa é a 4 de julho.


Bíblia

A Sagrada Escritura é o conjunto dos livros escritos por inspiração divina, nos quais Deus se revela a si mesmo e nos dá a conhecer o mistério da sua vontade. O Antigo Testamento contém a revelação feita por Deus antes da vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo ao mundo. O Novo Testamento contém a revelação feita diretamente por Jesus Cristo e transmitida pelos Apóstolos e outros autores sagrados. «A Sagrada Tradição e a Sagrada Escritura estão intimamente unidas»

02 de Abril 2014

Brasília (RV) - O Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) convoca todas as Igrejas do país para que toquem os sinos, no dia 2 de abril, às 9h, por ocasião da canonização do Beato José de Anchieta.

Em carta, enviada aos bispos, o bispo auxiliar de Brasília e secretário geral da CNBB, Dom Leonardo Steiner, explica que será um "gesto de alegria, gratidão e comunhão por estar inscrito entre os santos, o Apóstolo do Brasil".

Durante a 52ª Assembleia Geral da CNBB, que acontecerá em Aparecida (SP), será celebrada missa em ação de graças pela canonização do beato, no dia 4 de maio, às 8h, no Santuário Nacional de Aparecida.

Celebrações por onde Anchieta passou

O arcebispo de São Paulo (SP), Cardeal Odilo Pedro Scherer, convidou o clero da arquidiocese para acolher a canonização com manifestações de "júbilo e ação de graças a Deus", pedindo que os sinos toquem, todos juntos, às 14h, por cinco minutos, ao menos. No domingo, dia 6, haverá procissão saindo do Pátio do Colégio, às 10h15, em direção à Catedral da Sé, onde será celebrada missa solene às 11h.

Em Salvador (BA), o arcebispo local e primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, celebrará uma missa, às 18h, na Catedral Basílica.

Na arquidiocese de Vitória do Espírito Santo (ES) haverá missa na catedral metropolitana, às 18h do dia 2, presidida pelo arcebispo local, Dom Luiz Mancilha Vilela. Às 20h, a comunidade Shalom apresenta o musical “Anchieta para todas as tribos”. No domingo, dia 6, duas missas estão marcadas. Às 9h30, na paróquia Beato José de Anchieta, em Serra (ES), e às 16h, no pátio do Santuário de Anchieta (ES).

O arcebispo de São Sebastião do Rio de Janeiro (RJ), Cardeal Orani João Tempesta, presidirá uma missa em ação de graças na Catedral Metropolitana de São Sebastião, no dia 2 de abril, às 18h.
(CM-CNBB)


Texto proveniente da página http://pt.radiovaticana.va/news/2014/03/30/os_sinos_do_brasil_v%C3%A3o_tocar_por_achieta_dia_2_de_abril/bra-786187
do site da Rádio Vaticano 

Papa Francisco


O papa Francisco surpreendeu seu próprio mestre de cerimônias nesta sexta-feira ao confessar seus pecados a um sacerdote na Basílica de São Pedro.

O papa presidia uma missa para mostrar a importância que ele atribui ao sacramento da reconciliação, comumente conhecido como confissão.
http://noticias.terra.com.br/ 

Youcat

Pergunta 41 do YouCat

A ciência natural torna o Criador desnecessário?
Não. A frase "Deus criou o mundo" não é um axioma rebuscado na ciência natural. Trata-se de uma afirmação teológica (theos = Deus, logos = sentido). Isto é, uma asserção de carácter divino acerca do sentido e da origem das coisas. [282-289]
A narrativa da Criação não é um modelo explicativo científico-natural do início do mundo. "Deus criou o mundo" é uma declaração teológica na qual se refere a relação do mundo com Deus. Deus quis o mundo; Ele acompanha-o e aperfeiçoa-o. Ser criado é uma qualidade inerente às coisas e uma verdade elementar sobre elas.
Vós amais tudo o que existe e não odiais nada do que fizestes; porque se odiásseis alguma coisa, não a teríeis criado. Sb 11,24

terça-feira, 25 de março de 2014

10

1) Ter um coração jovem sempre: “Vós tendes uma parte importante na festa da fé! Vós nos trazeis a alegria da fé e nos dizeis que devemos vivê-la com um coração jovem sempre: um coração jovem, mesmo aos setenta, oitenta anos! Coração jovem! Com Cristo o coração não envelhece nunca!” (Homilia de Domingo de Ramos 24/03/2013 – Dia da Juventude)
2) Ir contra a corrente: “Sim, jovens, ouvistes bem: ir contra a corrente. Isso fortalece o coração, já que “ir contra a corrente” requer coragem, e o Senhor nos dá essa coragem. Não há dificuldades, tribulações, incompreensões que possam nos meter medo se permanecermos unidos a Deus como os ramos estão unidos à videira, se não perdermos a amizade d’Ele, se lhe dermos cada vez mais espaço na nossa vida”. (Santa Missa dos crismandos em Roma – 28 de abril de 2013)


3) Apostar em grandes ideais: “Não enterrem os talentos! Apostem em grandes ideais, aqueles que alargam o coração, aqueles ideais de serviço que tornam fecundos os seus talentos. A vida não é dada para que a conservemos para nós mesmos, mas para que a doemos. Queridos jovens, tenham uma grande alma! Não tenham medo de sonhar com coisas grandes!” (Catequese do dia 24/04/2013).
4) Estar com Deus em silêncio: “Aprendam a permanecer em silêncio diante d’Ele, a ler e meditar a Bíblia, especialmente os Evangelhos, a dialogar com Ele, todos os dias, para sentir a Sua presença de amizade e de amor”. (Mensagem aos jovens reunidos para a “Sexta Jornada dos Jovens” da Lituânia 28-30 de junho)
5) Rezar o Rosário: “Gostaria de destacar a beleza de uma oração contemplativa simples, acessível a todos, grandes e pequenos, cultos e pouco instruídos: a oração do Santo Rosário. O Rosário é um instrumento eficaz para nos ajudar a nos abrirmos a Deus, porque nos ajuda a vencer o egoísmo e a levar a paz aos corações, às famílias, à sociedade e ao mundo.” (Mensagem aos jovens reunidos para a “Sexta Jornada dos Jovens” da Lituânia 28-30 de junho)
6) Fazer barulho: “Aqui, no Rio, farão barulho, farão certamente. Mas eu quero que se façam ouvir também, nas dioceses, quero que saiam, quero que a Igreja saia pelas estradas, quero que nos defendamos de tudo o que é mundanismo, imobilismo, nos defendamos do que é comodidade, do que é clericalismo, de tudo aquilo que é viver fechados em nós mesmos”. (Discurso aos Jovens Argentinos durante a JMJ Rio 2013)

7) Aproximar-se da cruz de Cristo: “Queridos amigos, a Cruz de Cristo nos ensina a sermos como o Cireneu, aquele que ajuda Jesus a levar o madeiro pesado, como Maria e as outras mulheres, que não tiveram medo de acompanhar Jesus até o fim, com amor, com ternura. E você, como é? Como Pilatos, como o Cireneu, como Maria?” (Discurso aos Jovens durante a Via-sacra, em Copacabana, durante a JMJ Rio 2013)
8) Ser protagonista das mudanças: “Através de vocês, entra o futuro no mundo. Também a vocês, eu peço para serem protagonistas desta mudança. Peço-lhes para serem construtores do mundo, trabalharem por um mundo melhor. Queridos jovens, por favor, não ‘olhem da sacada’ a vida, entrem nela. Jesus não ficou na sacada, Ele mergulhou… ‘Não olhem da sacada’ a vida, mergulhem nela como fez Jesus”. (Discurso na Vigília de Oração, na praia de Copacabana, durante a JMJ Rio 2013)
9) Servir sem medo: “Não tenham medo de ir e levar Cristo para todos os ambientes, até as periferias existenciais, incluindo quem parece mais distante, mais indiferente. O Senhor procura a todos, quer que todos sintam o calor da Sua misericórdia e do Seu amor”. (Homilia da Missa de encerramento da JMJ Rio 2013)
10) Ser revolucionário: “Na cultura do provisório, do relativo, muitos pregam que o importante é ‘curtir’ o momento, que não vale a pena se comprometer por toda a vida, fazer escolhas definitivas ‘para sempre’, uma vez que não se sabe o que nos reserva o amanhã. Nisso peço que se rebelem: que se rebelem contra a cultura do provisório, a qual, no fundo, crê que vocês não são capazes de assumir responsabilidades, que não são capazes de amar de verdade. Eu tenho confiança em vocês, jovens, e rezo por vocês. Tenham a coragem de ‘ir contra a corrente’. E também tenham a coragem de ser felizes!” (Discurso aos voluntários da JMJ Rio 2013)

Via http://destrave.cancaonova.com/

A vida dos Santos



JESUS CRISTO é o único mestre da verdade,
o único modelo, o único mediador da vida do PAI. 

São Francisco de Sales diz:
"Que são a vida dos Santos se não o Evangelho colocado em prática?"
Os Santos de Deus são aqueles heróis de JESUS CRISTO que, alcançando uma vitória sobre o demônio, o mundo e a carne, e praticando as virtudes em grau heróico, alcançaram a eterna bem-aventurança.
São modelos de vida em Cristo, e pelo seu testemunho são nossos intercessores junto a Deus.
O que fazer para participar dessa felicíssima glória na JERUSALÉM CELESTE?
Temos a Sagrada Escritura, os Mandamentos, os Sacramentos, a Doutrina da Igreja Católica Apostólica Romana e os exemplos dos Santos.

Nenhuma pessoa humana chegou à eterna felicidade senão pela via da Cruz, e praticando as virtudes do Divino Mestre, da humildade, da paciência, da perseverança, mansidão, castidade, e um abrasado amor à Deus e ao próximo e uma rejeição ao mal e ao pecado.

Festa da Anunciação


A Anunciação do anjo à Maria marca o início da Redenção humana.  Com seu “sim”, Maria divide a história da humanidade em antes e depois, em velho e novo.  Ao aceitar o projeto de Deus, Maria se insere definitivamente na aliança de Deus com seu povo: através dela o Filho de Deus se fará homem e se fará presente e atuante em seu tempo e por toda a eternidade.
Com sua atitude, Maria torna-se co-redentora, participando do resgate da humanidade em direção ao coração de Deus.  Através de Maria Deus se fará homem e na vida terrena experimentará o limite da condição humana para revelar-Se Pai amoroso, Filho amado, Espírito amante.
Com a festa da Anunciação a Nossa Senhora, a Igreja quer celebrar esse momento único em que Cristo começa a ser gerado no ventre de Maria.  A jovem, que questiona o anjo por não entender como tal coisa poderia acontecer já que não conhecia homem, consegue perceber nas palavras do mensageiro a certeza de Deus e Sua verdade.  Assim, abre seu coração e seu corpo ao extraordinário, àquilo que assombrará a humanidade por gerações: ser corpo virgem gerará uma vida – mistério insondável de Deus, revelação suprema de Seu poder em tornar possível o impossível aos olhos humanos.
Possamos com essa festa nos abrir ao extraordinário, aceitar com gratidão o projeto de Deus sabendo-nos partícipes da construção de um novo estado de coisas e, sobretudo, testemunhar que desde aquele dia comum, na pequena cidade de Nazaré da Galiléia, o próprio Deus está presente no meio da humanidade.

Textos litúrgicos da Festa

1ª leitura – Is 7, 10-14; 8-10

2ª Leitura – Hb 10, 4-10
Evangelho – Lc 1, 26-38





Frases de Santos 



1-Dom Bosco
''Meus caros jovens, eu vos amo de todo coração, basta-me saber que sois jovens para que vos ame profundamente''.


2-São Francisco de Assis
"Ao servo de Deus nada deve desagradar senão o pecado." "Comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível, em breve estarás fazendo o impossível."


3-São João Maria Vianney
"Quem não tem tempo a perder para Deus, perde seu tempo".



 4-São João da Cruz
"A mosca que pousa no mel não pode voar; a alma que fica presa ao sabor do prazer, sente-se impedida em sua liberdade e contemplação."


5-Padre Pio
- "Quando Jesus vem a nós na santa comunhão, encontra alegria em Sua criatura. Por nossa parte, procuremos Nele a nossa alegria."

6-Santa Teresinha do Menino Jesus
"A vida é apenas um sonho, em breve acordaremos e que alegria!... quanto mais nossos sofrimentos são grandes, tanto mais nossa glória será infinita".


7-Sta Rita de Cássia
Senhor, dá-me um amor capaz de entregar tudo por um amor sempre maior.


8-Santa Teresa de Ávila
"O Senhor não olha tanto a grandeza das nossas obras. Olha mais o amor com que são feitas"


9-Santo Agostinho
"Oh eterna verdade, verdadeira caridade e querida eternidade! És o meu Deus, por ti suspiro dia e noite"


10-Santo Inácio de Antioquia
"Escutai, antes, as feras, para que se convertam em meu sepulcro e não deixem rasto do meu corpo. Então serei verdadeiro discípulo de Cristo".



Mateus 16:13-20
Nova Versão Internacional

A Confissão de Pedro
13 Chegando Jesus à região de Cesaréia de Filipe, perguntou aos seus discípulos: “Quem os outros dizem que o Filho do homem é?”
14 Eles responderam: “Alguns dizem que é João Batista; outros, Elias; e, ainda outros, Jeremias ou um dos profetas”.
15 “E vocês?”, perguntou ele. “Quem vocês dizem que eu sou?”


16 Simão Pedro respondeu: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”.
17 Respondeu Jesus: “Feliz é você, Simão, filho de Jonas! Porque isto não lhe foi revelado por carne ou sangue, mas por meu Pai que está nos céus. 18 E eu lhe digo que você é Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do Hades[a] não poderão vencê-la[b]. 19 Eu lhe darei as chaves do Reino dos céus; o que você ligar na terra terá sido ligado nos céus, e o que você desligar na terra terá sido desligado[c] nos céus”. 20 Então advertiu a seus discípulos que não contassem a ninguém que ele era o Cristo.



Ninguém faz bem o que faz contra a vontade, mesmo que seja bom o que faz.
Santo Agostinho